O drama das fronteiras: vigilância cobre apenas 4% do nosso território

Reportagem de capa de “O Globo” neste domingo expõe as mazelas e deficiências das nossas fronteiras. De acordo com o jornal, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), projeto iniciado no governo petista em 2012 e que custou mais de R$ 1 bilhão para a sua instalação, só cobre 660 quilômetros do total de 16.866 quilômetros de fronteiras brasileiras. Isso significa que o bilionário sistema que foi criado para bloquear a entrada de armas e drogas no Brasil é capaz de monitorar apenas 4% das nossas fronteiras.

Como pode o nosso país querer realizar um efetivo combate ao crime organizado quando só conseguimos monitorar e fiscalizar 4% das nossas fronteiras internacionais? Enquanto isso, assistimos a cenas de barbárie nos presídios, e vemos, impotentes, o crescimento da criminalidade nas nossas cidades, que gera um total de 60 mil assassinatos por ano. Está faltando um pouco mais de esforço e investimento das nossas autoridades no controle das fronteiras do país. A discussão de soluções para esse sério problema não pode mais ser negligenciada.

1 Comentário

  • Luciana Carnevale

    janeiro 30, 01 2017 01:37:35

    Uma cifra bilionária jogada na lata do lixo, ainda mais em tempos nos quais funcionários públicos sequer receberam o 13º salário. Um pecado, um descaso, uma falta de respeito, uma forte bofetada em nossas caras. Sem recursos bem administrados e bem alocados, é impossível fiscalizar o perímetro continental de nossas fronteiras. Uma notícia para ser avaliada com esmero pelos petistas, que ainda falam em golpe e cravam nas costas de outros governos, a faca da negligência. Enquanto isso, as facções seguem cada dia mais organizadas. Lamentável.

Deixe uma Resposta