Maduro, o caloteiro

Como já era mais do que esperado, o governo da Venezuela, comandado pelo ditador Nicolás Maduro, deixou de pagar cerca de R$ 1 bilhão que devia ao BNDES, referente a uma parcela do empréstimo tomado junto ao banco durante o governo do PT. Com o calote, quem, assume o prejuízo é o governo brasileiro. No contrato feito pelo banco com o governo venezuelano, além de o Brasil emprestar o dinheiro, o governo ainda é o fiador da transação. Ou seja: não tinha perigo dessa conta não acabar sendo paga pelo contribuinte brasileiro.

Esse é mais um absurdo do legado deixado por 13 anos de governos do PT. O BNDES emprestou centenas de bilhões de reais que pertencem ao povo brasileiro para financiar obras em países alinhados ideologicamente ao petismo. “Potências” como Angola, Venezuela, Panamá, Honduras, Cuba, Peru, República Dominicana, entre outros, receberam volumosos empréstimos para a realização de obras que, hoje, sabemos bem ao que serviam: para retornar na forma de propinas a partidos, a políticos, a empresários, a burocratas e outros personagens revelados pelo escândalo do mensalão.

O Congresso Nacional precisa agir. Não é justo que os brasileiros paguem essa conta. Quem tinha que ser acionado judicialmente a pagar por esse prejuízo devia ser Lula, Dilma e o PT. Eles que inventaram essa política de empréstimos que quase quebrou o Brasil. Eles, portanto, é que deviam ser responsabilizados por esse rombo. E outros virão. Aguardem.

Deixe uma Resposta