Maçã envenenada

Conta a “Folha de S.Paulo” que o desgaste enfrentado por quadros tradicionais do PSDB com a crise política – José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves -, e que deve piorar à medida que as delações da Lava Jato avançam, fez vir à tona comentários antes restritos aos bastidores.
A possibilidade de o prefeito de São Paulo, o tucano João Doria, se firmar como um nome competitivo na disputa à presidência da República pelo partido em 2108.
Em “off”, os tucanos desfiam vários argumentos ao jornal para calçar a viabilidade da candidatura do prefeito, principalmente o fato de ele se apresentar como “gestor”, e não político, motivo de alta rejeição em relação aos eleitores.
Lembram até que Doria, sempre que provocado, faz questão de rivalizar com a maior figura do PT, Lula, primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.
Li a matéria da “Folha” com pesar, certo de que jogaram uma maçã envenenada na mesa dos tucanos para agudizar as rivalidades das divindades.
Não menos importante, a maçã também envenena João Doria, que daqui pra frente será olhado de maneira enviesada, restritiva, até pelo Palácio do Planalto.
Não sei que está por trás do “off”, mas creio ser um inimigo do partido.
Os tucanos precisam negar esse besteirol até o fim.

1 Comentário

  • César – Fortaleza

    março 09, 03 2017 11:24:40

    Tasso, ex – governador do Ceará na cabeça.No PSDB só tem ele com histórico político limpo,o resto tá bichado.
    Perguntar não ofende.Por que os comentários aqui no blog não são publicados?

Deixe uma Resposta