Fogo que não se apaga

Segundo o Ministério Público Federal, a prisão de doleiros, iniciada pela operação “Câmbio, Desligo”, ontem, tem potencial explosivo para abrir novos rumos de investigação nos esquemas de corrupção de volumes de dinheiro estratosféricos. O esquema implodido pela força-tarefa da Lava Jato ontem – entre doleiros e milhares de empresas offshores em cerca de 52 países – movimentou cerca de US$ 1,6 bilhão de dólares entre 2008 e 2017. A massa de informações esperada das delações de doleiros deve atingir o nome de mais políticos, empreiteiras, empresas, entre outras personalidades, incluindo até jogadores de futebol (já surgiu o nome do jogador Emerson Sheik, do Corinthians, que teria operado milhares de dólares no esquema). Mas o considerado peixe grande da operação, “o doleiro dos doleiros” segundo avaliação do colega Alberto Youssef, Dario Messer, que esteve envolvido em todas as investigações ocorridas no país desde o Banestado, ainda não foi localizado pela Polícia Federal. Pelo visto, a Lava Jato ainda vai longe. Que coloquem as barbas de molho aqueles que tentam a todo custo sustar seus efeitos.

Deixe uma Resposta