Eletrobras, privatização necessária

O Ministério de Minas e Energia informou nesta semana que vai propor ao governo federal a privatização da Eletrobras. O ministério comunicou que será proposto ao conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) a “redução da participação da União” no capital da estatal. Hoje a União tem 51% das ações ordinárias (com direito a voto) e fatia de 40,99% no capital total da Eletrobras. Além disso, o BNDES e seu braço de investimentos, o BNDESPar, têm, juntos, 18,72% do capital total da empresa.

O anúncio de que o governo pretende privatizar a Eletrobrás agradou o mercado e as ações da estatal dispararam nesta terça-feira, com o papel da empresa chegando a subir 50%. O movimento resultou em um aumento de R$ 9 bilhões no valor de mercado da estatal. Outra elétrica que se destacou foi Cemig, com sinais mais positivos em relação às usinas que a União pretende leiloar.

Sou plenamente a favor da privatização da Eletrobrás. Como tenho declarado sempre, quanto maior o Estado, mais corrupto o governo. Estado enxuto significa bons serviços públicos para o cidadão.

Deixe uma Resposta