É preciso transparência

O jornal “Valor Econômico” conta em sua edição desta segunda-feira (19/03) que o ranking com 15 produtores de petróleo indica que a gasolina vendida no Brasil é a segunda mais cara do mundo (só perde para a Noruega). Na mira do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) sob suspeita de cartelização, os participantes da cesta que impacta o preço do combustível na bomba, contudo -revendedores, distribuidores, Petrobras, União -, não assumem, segundo a publicação, responsabilidade pelo custo final do produto.

Responsável pelo cálculo de preços de venda da gasolina e diesel às distribuidoras com base na paridade de importação do produto no mercado internacional, bastante volátil (acrescido de margem que cobre riscos com o câmbio e a variação de preços), a Petrobras começa a divulgar esta semana o preço médio do litro de gasolina vendido nas refinarias; quer mostrar que os preços cobrados pelas refinarias equivalem a 1/3 do gasto pago consumidores na bomba.

Cada setor da cadeia de combustível tem uma explicação a dar com relação ao custo final do produto vendido nos postos, mas o mistério continua.

Quem sabe agora o Cade desvenda o mistério que cerca as margens de lucro/custos da comercialização de combustíveis que irrita tanto os brasileiros (e com razão)? Sabemos que os impostos têm forte impacto no preço, e que a Petrobras por certo embute no preço ao consumidor o custo da roubalheira havida na estatal, mas para isso é preciso dar transparência às contas.

Afinal, os contribuintes têm o direito de saber o tamanho do prejuízo deixado por PT “et caterva” na empresa que já integrou o ranking das maiores do mundo e hoje pena para pagar suas dívidas.

3 Comentários

  • marcos colares Ex Pres PTB JM

    fevereiro 19, 02 2018 10:39:21

    Presidente, não e so na gasolina, e sim em todos os setores quem lidam com o sagrado DINHEIRO PUBLICO, a começar por esse nosso município(pobre), refém dos VELHACOS -RACISTAS E LADROES. Dr. o PTB , luta pelo COMBATE A CORRUPÇAO, porem a dificuldade aumenta cada vez mais nesse Pais. Quero continuar a ACREDITAR. Entendo que se aparecer as RECEITAS X DESPESAS MENSALMENTE, IREMOS AO MENOS DIMINUIR ESSE VICIO IMPRESSIONANTE. Vamos ficar atentos aos próximos passos. O VOTO E A VOZ E A VEZ.

  • Norma

    fevereiro 20, 02 2018 12:01:10

    Bravo!!!!!!!!!!!

  • benatlarge

    fevereiro 23, 02 2018 05:32:28

    Um dos ativos incluídos no plano de desinvestimentos é a polêmica refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Em comunicado divulgado ao mercado nesta terça-feira (6), a Petrobras anunciou que abriu o processo de venda do ativo que é alvo de uma série de denúncias de corrupção na gestão do governo anterior investigadas pela operação Lava Jato. Para conseguir vender Pasadena, a Petrobras decidiu incluir um terreno localizado no canal do golfo que dá acesso a Houston. “Essa área é adjacente à refinaria e existe um interesse especial nesta área”, disse Parente, sem dar detalhes da área. A fala do executivo sugeriu que a refinaria em si pouco atraiu investidores. Questionado sobre o montante que a companhia espera arrecadar com a venda de Pasadena, Parente disse apenas que “a Petrobras tem o desejo de obter o melhor resultado possível”. Acordo com chinesa para concluir obras do Comperj está próximo de ser firmado, sinaliza Petrobras Segundo o presidente da estatal, resultado de reunião realizada na última semana foi ‘positivo’.

Deixe uma Resposta