Divisor de águas

Na esteira da delação do ex-ministro Antonio Palocci, que promete entregar a cabeça do ex-presidente Lula e de outras tantas coroadas do sistema financeiro, conta a revista “Época” que o também ministro da Fazenda Guido Mantega – tido como operador de propinas do PT a partir do governo de Dilma Rousseff – resolveu fazer delação premiada. No cardápio a ser oferecido ao Ministério Público Federal, a cabeça da ex-presidente, diz a revista.

Entre outras traficâncias, Guido Mantega poderá esclarecer sobre os valores milionários de propina que o dono da JBS Joesley Batista diz ter depositado em contas secretas no exterior em benefício de Dilma e Lula (cifras que atingiram 150 milhões de dólares!, segundo Joesley).

Como se não bastasse, da cadeia o fantasma de Marcos Valério, operador do mensalão, voltou a amedrontar o PT com a promessa de contar detalhes à Polícia Federal da chantagem que Lula foi vítima para que o empresário Ronan Maria Pinto não o denunciasse como mentor do assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel. Valério garantiu à deputada tucana Mara Gabrilli, que visitou o presídio onde ele cumpre pena em Belo Horizonte, que tem provas do que diz.

Alvo de cinco denúncias, sendo três na Lava Jato, cada vez fica mais difícil para o ex-presidente escapar de prováveis condenações (sua participação na eleição de 2018 seria apenas para animar a militância); Dilma também vai acumular as suas, o tempo vai dizer.

O ano de 2017 será lembrado na história do país como um divisor de águas.

Para o bem ou para o mal.

1 Comentário

  • marcos colares

    junho 03, 06 2017 02:23:44

    Oxalá para o bem, Presidente Jefferson. Lula , Dilma, Ideli presos, o Brasileiro aprendera a valorizar o seu voto de confiança. Continuo com fe e esperança no Pais. Tenho dito. E MORO PRESIDENTE E ROBERTO JEFFERSON NO SENADO FEDERAL EM 2018. VIVA A DEMOCRACIA.

Deixe uma Resposta