Datafolha vem aí!

Ontem, aqui no Blog, eu dizia que certamente já havia pesquisador na rua fazendo levantamento sobre a disputa presidencial “com ou sem Lula”. Pois hoje ficamos sabendo que o Datafolha saiu às ruas justamente nesta segunda-feira, com um questionário que causou revolta entre os dirigentes do PT. Isto porque o instituto faz diversas simulações sobre as eleições de outubro, e em várias delas não foi incluído o nome do ex-presidente Lula.

O mais curioso na pesquisa do Datafolha, entretanto, é o fato de que, além de Lula, já são 18 os nomes de possíveis pré-candidatos à disputa presidencial. E isso porque o instituto retirou alguns nomes que vinham sendo inseridos na sucessão e que já demonstraram que não serão candidatos, como Luciano Huck, Sérgio Moro, entre outros. Os 18 nomes de candidatos até aqui são os seguintes: Alvaro Dias, Ciro Gomes, Fernando Collor, Fernando Haddad, Flávio Rocha, Geraldo Alckmin, Guilherme Afif, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles, Jair Bolsonaro, João Amoêdo, Joaquim Barbosa, Manuela D´Ávila, Marina Silva, Michel Temer, Paulo Rabello de Castro e Rodrigo Maia. Ainda ficaram de fora desta lista os nomes de Eymael e Levy Fidelix. E também não há a inclusão de candidatos que sempre apareceram na esquerda, saídos do PSTU e do PCO.

O Datafolha também incluiu em seu questionário, que deve ser apresentado aos eleitores até a próxima sexta-feira, algumas perguntas sobre Lula. O instituto pergunta aos entrevistados se acham que Lula irá disputar a eleição para presidente neste ano, se ele deveria ser impedido de disputar a eleição, e se a prisão do líder petista foi justa ou injusta. O Datafolha também faz outros questionamentos sobre a questão da prisão em segunda instância, sobre a conveniência de militares fazerem comentários sobre política, e sobre quem amedronta mais as pessoas: as facções criminosas, as milícias, os criminosos comuns ou a polícia.

Essa pesquisa surge em um momento importante da vida nacional, e muitas das respostas mostrarão para que direção está caminhando o pensamento da sociedade nesta época de tanta turbulência e animosidades.

Deixe uma Resposta